WHAT'S NEW?
Loading...


(TEXTO 01) As VANGUARDAS EUROPEIAS foram manifestações artístico-literárias surgidas na Europa, nas duas primeiras décadas do Século XX, e vieram provocar uma ruptura da arte moderna com a tradição cultural do século anterior. Todos pautavam-se no mesmo objetivo, que era o questionamento, a quebra dos padrões, o protesto contra a arte conservadora, a criação de novos padrões estéticos, que fossem mais coerentes com a realidade histórica e social do século que surgia.
Estas manifestações se destacaram por sua radicalidade, a qual proporcionou que influenciassem a arte em todo o mundo.

No Brasil não poderia ser diferente, uma vez que este era o exato momento da história em que as manifestações artísticas estavam crescendo em nosso país, e que a maioria dos artistas se espelhavam nas tendências europeias, fosse para imitar-lhes, fosse para combater-lhes.


As cinco correntes vanguardistas que mais influenciaram o fazer literário no Brasil foram:
Expressionismo, Cubismo, Futurismo, Dadaísmo e Surrealismo. 
As vanguardas europeias passaram pela Literatura Brasileira deixando sua contribuição, especialmente ao somarem com a Semana de Arte Moderna e o movimento modernista, pois juntos vieram romper com a antiga estética que até então reinava em nosso país.
Vejamos um pouco de cada uma delas:


(TEXTO 02) Cubismo: Teve maior representatividade entre os anos de 1907 e 1914, mais especificamente na pintura. Seu propósito era decompor, fragmentar as formas geométricas. Investia na subjetividade de interpretação das obras, afirmando que um mesmo objeto poderia ser visto de vários ângulos. Na literatura, caracteriza-se pela representação de uma realidade fragmentada, que é retratada por palavras dispostas simultaneamente, com o objetivo de formar uma imagem. Os principais artistas que representaram esta vanguarda foram: Pablo Picasso, Fernand Léger, André de Lothe, Juan Gris e Georges Braque, na pintura, e Apollinaire e Cendras na literatura.

Dadaísmo: Surgiu em 1916 em plena Primeira Guerra Mundial, a partir do encontro de alguns artistas refugiados que buscaram produzir algo que chocasse a burguesia. É mais um reflexo das emoções causadas pela Guerra, tais como revolta, agressividade e indignação. Na literatura, se caracteriza pela agressividade verbal, pela desordem nas palavras, a incoerência, a quebra da lógica e do racionalismo, e pelo abandono das regras formais do fazer poético: rima, ritmo, etc.

Expressionismo: Surgido em 1912, expressava a agitação e inquietação que buscava subverter a estética da época. Pela primeira vez apareceu na livraria de arte der Sturm, em Berlim, expressando, como o nome diz, a renovação cultural que já estava em curso na Alemanha e em toda a Europa. Não teve ideais claros e definidos, porém procurava transmitir ao mundo a situação do homem, com seus vícios e horrores.

Surrealismo: Esta vanguarda surgiu após a Primeira Guerra, na França, mais precisamente em 1924. Trouxe para a arte concepções freudianas, relacionadas à psicanálise. Segundo esta vanguarda, a arte deve surgir do inconsciente sem que haja interferências da razão. Trabalha frequentemente com elementos como a fantasia, o devaneio e a loucura.

Futurismo: Surgiu através do Manifesto Futurista, criado pelo italiano Tommaso Marinetti em 1909. Suas proposições eram negar o passado, o academicismo e trazer o interesse ideológico, a pesquisa, a experimentação, a técnica e a tecnologia para a arte. Marinetti pregava o desapego ao tradicionalismo, especialmente quanto à sintaxe da língua.


Como o título já falou, uma grande maioria de professores estão dando aulas sem ser formados na área. 



Percorremos várias cidades de Sergipe, estado que vivemos, e encontramos de tudo, professor de matemática, geografia e até física dando aula de Artes. Se ao menos o poder público bancasse uma especialização ou formação para esses professores. 

De acordo com pesquisa divulgada no Estadão, Mais da metade dos professores do País não possuem licenciatura para dar aulas nas disciplinas que lecionam nas últimas séries da educação básica. É o que mostra um levantamento da ONG Todos pela Educação para o Observatório do PNE (Plano Nacional da Educação), com dados do Censo Escolar de 2013. Nos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano), o índice chega a 67,5% e no ensino médio a 51,7%. 

Contudo esse caso é apenas mais um, diante da forma que o poder público trata a educação do Brasil, em outra disciplinas/matérias acontece o mesmo, professores formados em outras áreas bem distintas dando aula de outra, e assim "vai levando com a barriga", a Educação precisa ser levada como prioridade no Brasil, por isso e por outros motivos sofremos com a falta de interesse dos alunos por determinadas matérias, situação que se reflete nos números da Educação Brasileira.  

Não queremos aqui dizer, nem duvidar, da capacidade de terminado professor, apenas evidenciar um costume da educação Brasileira. 

E o seu professor realmente é formado em Artes? 
Conte um pouco de sua experiência.




Arte Na Nett - Por: Cleberton Batalha 


O que é Water Transfer Printing - WTP



Em nossas pesquisas diárias acabamos de conhecer uma técnica bastante diferenciada, é a técnica do Water Transfer Printing, que também é conhecido por Hydro Dipping.
O Water Transfer Printing é uma forma de Impressão Hidrográfica, uma Adesivagem Hidrográfica ou WTP.

Em seu termo especifico o WTP é o processo de texturização de objetos que utiliza um recipiente cheio de água, uma película com a imagem a ser transferida, uma base para fixação da tinta no objeto e um ativador. Ou melhor em uma linguagem bem mais simplificada é um processo de pintura na água.

https://go.hotmart.com/Y5260915E

Curso Completo de  Water Transfer Printing

 A verdade é que essa técnica é uma das tendências que mais cresce no Brasil e ajuda várias pessoas no processo de customização de carros, motos, bicicletas e de diversos outros objetos do dia-a-dia.  
Você pode ver vários vídeos no You Tube sobre o WTP.



Curso Completo de  Water Transfer Printing

Arte na Nett - Por Cleberton Batalha




Arte Rupestre = Arte Pré-história. São as primeiras manifestações de Arte do homem. Nesse período o homem usava tintas fabricadas com sangue de animais, líquido de raízes, argila vermelha e outros materiais encontrados na natureza. Suas representações eram cenas do cotidiano como a caça e a pesca.

O escultor Aleijadinho é um dos representantes do Barroco e do Rococó no Brasil. (Vale pesquisar mais)

A Chegada da Missão Artística Francesa ao Brasil (1816) se dá anos depois da chegada da Família Real ao Brasil 1808. Esses Artistas tinham a missão de trazer ao país o estilo artístico denominado Neoclassicismo, e tinha a função de "Atualizar" as Artes existente no Brasil.

Ainda relacionado a Missão Artística Francesa o Artista Debret foi um dos que se destacou, ao longo dos anos se dedicou a retratar a vida dos negros, índios e povos que habitaram o Brasil naquele momento. (1816)

Seguindo a história da Arte, um período que imprimiu novas formas na elaboração da pintura foi o Impressionismo. A intenção aqui é causar impressão, geralmente os Artistas usavam cores puras, pinceladas rápidas e pintavam ao ar livre. (Vale pesquisar sobre) Geralmente cai uma questão sobre o assunto no ENEM.
💡Outro tema que não fica de fora do ENEM é a semana de 22 (Semana de Arte Moderna). Ruptura com a forma de Arte tradicional, experimentação e valorização da Cultura Nacional. Desse período, não esqueça de ler sobre a história de Tarsila do Amaral.

😉Ano após ano os organizadores do ENEM se concentram na arte Moderna a exemplo da Arte conceptual ou arte conceitual que teve início na década de 1960 e adentrou nos anos setenta. Abriu mão do formalismo e dos objetos para se concentrar em ideias e conceitos.

Não esqueça de ler sobre o Artista sergipano Arthur Bispo do Rosário o "Artista" ganhou destaque nos últimos anos, com exposição que levam suas obras ao público, e pode ser uma dos temas abordados.

Arte Na Nett Por: C.Batalha / Cleber Batalha
Hoje muitos Brasileiros ficaram perplexos ao ver a obra do Artista Victor Brecheret amanhecer colorida. Porém você sabe quem foi esse Artista e a qual período artístico ele fez parte?
O MONUMENTO ÀS BANDEIRAS PRÓXIMO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA AMANHECEU PICHADO EM SÃO PAULO (FOTO: ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL)

Victor Brecheret um dos escultores mais conhecidos no Brasil e um importante artista do século XX. Não existe duvida quanto à importância do escultor para a história da Arte Moderna no Brasil.

No evento denomina Semana de 22, Victor Brecheret teve importante participação, rompendo com os padrões da época (1922). Em sua maioria as obras do Artista eram monumentais, levando em consideração o tamanho e tempo empregado na elaboração das obras, motivo este que justifica a exposição em locais públicos.

Nasceu na cidade de Farnese (Itália) em 22 de fevereiro de 1894 e morreu na cidade de São Paulo (Brasil) em 17 de dezembro de 1955.

Durante sua vida artística ganhou vários prêmios nacionais e internacionais de arte, comprovando seu grande talento artístico.

Quanto as cores que foram jogadas no Monumento às Bandeiras, de certa forma se assemelha a uma intervenção, mesmo muitas pessoas não percebendo existe uma mensagem que os envolvidos queriam passar, levando em consideração as tonalidades usadas, não parece apenas um ato de vandalismo. Em outro momento vamos abordar o tema Grafite e pichação. 

Victor Brecheret

Biografia resumida

Em 1912, entra para o Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo para estudar desenho e modelagem.

Em 1913, vai para Roma estudar escultura.

Em 1915, monta um ateliê em Roma.

Em 1916, fica em primeiro lugar na Exposição de Belas-Artes em Roma, com a obra Despertar.

Retorna ao Brasil em 1919 e monta seu ateliê em São Paulo.

Em 1920, faz a maquete de uma de suas principais obras modernistas: Monumento às Bandeiras (inaugurada em 1953 no Parque do Ibirapuera).

Vinte esculturas de sua autoria fazem parte da Semana de Arte Moderna de 1922, sendo expostas no Teatro Municipal de São Paulo.

Em 1926, é realizada sua primeira exposição individual, na cidade de São Paulo.

Em 1941, torna-se o vencedor no concurso para o "Monumento ao Duque de Caxias".

Em 1950, expõe na 25ª Exposição de Artes de Veneza.

Em 1951, expõe na 1ª Bienal Internacional de São Paulo.

Em 1950, expõe na 26ª Exposição de Artes de Veneza.

- Em 25 de janeiro 1953 (aniversário de São Paulo), inaugura sua importante obra "Monumento às Bandeiras". 

Em 1955, expõe na 3ª Bienal Internacional de São Paulo.

Depois do banho, Victor Brecheret


 Principais obras (esculturas)

- Despertar
Monumento às Bandeiras
- Fauno
- Monumento ao Duque de Caxias
- Eva
- Depois do banho
- Diana Caçadora
- Morena
- Bartira
- Ídolo
- O Índio e Suaçuapara
- Graça I e Graça II
- Busto de Alcântara Machado
- Via Crucis
- Banho de Sol
- O Grupo
- Relevos
- Retrato de Santos Dumont
- A Portadora e Perfume

Monumento ao Duque de Caxias - Victor Brecheret


Arte na Nett – Por: Cleberton Batalha

Fonte consultada:

Sua Pesquisa
Site parceiro: www.sergipeinform.com.br


O que é arte rupestre?
Muitas pessoas ficam se perguntando o significado da palavra RUPESTRE quando o professor chega a seus primeiros dias de aula e fala. RUPESTRE remete a gravação ou traçados na rocha, logo ARTE RUPESTRE é pintura e gravura elaboradas na rocha.  
A arte rupestre em seu sentido mais amplo é o conjunto de figuras encontradas em paredes de cavernas, geralmente essas cavernas serviam como abrigo ou moradia a cerca de 40.000 anos atrás. As representações encontradas nessa caverna em sua maioria eram temas relacionados ao cotidiano desses homens pré-históricos como; a caça, vegetação, além de rituais religiosos.

No Brasil a Serra da Capivara, no estado do Piauí, é um grande exemplo de lugares onde estão localizados vários abrigos com exemplos de pinturas rupestres. Outro lugar que podemos encontra vestígios de arte rupestre é a Chapada Diamantina, região de serra no estado da Bahia.
Existem algumas discussões nos meios dos pesquisadores das Artes a respeito do conceito de Arte, alguns não consideram como Arte essas representações produzidas nas paredes das cavernas por se tratar de algo que possivelmente foi produzido de forma aleatória. Outros pesquisadores já defendem sua autenticidade enquanto produções artísticas.  


Mas como esses homens/mulheres produziam os materiais para elaborar os desenhos e pinturas? 
As tintas eram obtidas na natureza, sangue e gordura de animais, cores adquiridas das raízes de arvores e plantas. Outros instrumentos eram feitos com pedras.
Quanto a reprodução de senas da caça, pesquisadores acreditam que muitos desses "artistas" pré-históricos acreditavam que ao representar a caça poderiam obter exito em suas caças ou seja a arte como efeitos mágicos. 
O que não podemos negar é a importância que a Arte Rupestre trás para os dias atuais, a forma de vida dos povos da pré-história e um pouco de sua dinâmica no dia-a-dia.

Arte na Nett - Por Cleberton Batalha